quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

TRIBUNA DA INTERNET


Ex-ministro da Cultura critica a esculhambação na política brasileira

Resultado de imagem para marcelo calero
Calero sabia que ia ser difamado
Roberta PennafortEstadão
O ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, negou, em seu perfil no Facebook, que tenha “agido a serviço do PSDB” ao denunciar o ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB), o que levou à saída de ambos do governo Michel Temer (PMDB). Calero se referia a informações que circulam em redes sociais de que o seu antigo partido iria se beneficiar com a desestabilização da gestão Temer.
Ele também mencionou uma foto que vem sendo veiculada em que aparece junto com a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), e afirmou que a busca por uma explicação para a sua denúncia reflete a “deterioração moral e ética” do País.
“Infelizmente, sabemos que fazer o certo tem o seu preço. Como disse em recente entrevista, sabia que qualquer coisa fariam ou farão para minar minha reputação e credibilidade, como se eu é que tivesse feito algo de errado. Nossa deterioração moral e ética chegou a um nível tal, que muita gente acha ‘impossível’ alguém simplesmente fazer o correto e buscam uma ‘explicação’ que não existe. Não podemos mais tolerar a esculhambação que é a política do nosso País”, escreveu o ex-ministro no Facebook.
FOTO COM JANDIRA – Quanto à deputada, Calero disse não ter ligações com ela, e afirmou que a foto que circula foi tirada quando ele era secretário de Cultura do município do Rio. Sobre sua filiação ao PSDB, explica que ficou no partido por “quase dez anos” e que, desde setembro de 2015, está no PMDB. “Jamais agiria a favor de terceiros”, afirmou.
Calero denunciou Geddel por agir em benefício próprio ao tentar intervir numa decisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) na Bahia para a liberação da construção de um prédio em Salvador no qual tem um apartamento. Depois da revelação, Calero pediu demissão, seguido de Geddel, na semana seguinte.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Calero é mais um grande exemplo dessa nova geração de servidores que está lutando para passar o país a limpo. Estes jovens demonstram que ainda há motivos para ter esperanças no futuro deste país. (C.N.)

O Imperador de Cuba

Resultado de imagem para fidel castro
Em 1958, Fidel Castro ainda na Sierra Maestra
Sebastião Nery
Em 1952 Gaia Gomes era diretor artístico da Rádio América de São Paulo. O saudoso David Raw trabalhava com ele. Uma tarde, entrou lá um rapaz de cabelos negros, olhos grandes, esbugalhados, bigode ralo e barbicha fina. Argentino, trazia para Gaia uma carta de apresentação de Alberto Castilho, médico e cantor de tango em Buenos Aires. Não queria emprego. Também era médico, estava precisando de uma passagem para a Guatemala, onde queria ajudar o governo revolucionário de Jacobo Arbenz.
Gaia e David fizeram uma “vaquinha” na rádio e compraram a passagem. Nos dias que passou em São Paulo, o rapaz de bigode ralo conheceu o deputado Coutinho Cavalcanti, paulista de Rio Preto, autor do segundo projeto de reforma agrária apresentado no Congresso (o primeiro foi o do baiano Nestor Duarte).
Com a passagem e o projeto, o rapaz de barbicha fina embarcou para a Guatemala. Lá, acabou trabalhando no Instituto Nacional de Reforma Agrária e aplicando os ideais do deputado Coutinho. Em 1954, um golpe militar, montado nos Estados Unidos e dirigido pelo coronel Castilo Armas, derrubou o governo de Arbenz. O rapaz de cabelos negros fugiu para o México.
Em 1958, apareceu em Cuba, na Sierra Maestra, ao lado de Fidel Castro e Camilo Cienfuegos. Derrubado o ditador Batista, o rapaz de olhos grandes, esbugalhados, implantou a reforma agrária em Cuba, baseada no projeto do deputado Coutinho, paulista de Rio Preto.
O rapaz chamava-se Ernesto “Che” Guevara. Ia encontrar-se com Fidel Castro em Sierra Maestra.
MOSCOU – A primeira vez que vi Fidel foi em Moscou, em junho de 1957. Há 59 anos.  Ele ainda lutava em Sierra Maestra. A União Soviética recebia milhares de jovens do mundo inteiro no “Festival Mundial da Juventude”. No desfile de abertura, magnífico e emocionante, um mundo de bandeiras de todos os países e povos, com imensas flâmulas suspensas nos muros do Kremlin saudando a Paz – “Mir e Drusba” – (Paz e Amor) –  na enfeitada e iluminada Praça Vermelha, diante do Kremlin e do tumulo de Lênin. Deu bem para ver que os russos já andavam rusgando com os chineses, que passaram silenciosos e pouco aplaudidos. Já os cubanos, uma pequena delegação, foram recebidos delirantemente como heróis.
Fidel Castro, Che Guevara, Camilo Cienfuegos e seus companheiros já lutavam nas montanhas da Sierra Maestra, apesar de os russos ainda não acreditarem na possibilidade de vitoria deles, diante do exercito de Batista e tão perto dos Estados Unidos. Como o desfile era por ordem alfabética, o “B” de Brasil vinha logo à frente do “C” de Cuba e nós ali deslumbrados marchando ao lado dos heróis de nosso tempo.
Acabado o desfile, os cubanos desapareceram. Voltaram para a montanha. Mas deu bem para ver o olhar poderoso e desafiador do jovem Imperador de Cuba, que já sabia que dois anos depois ia vencer.
Do festival os brasileiros ganharam na beleza. Abriu a delegação brasileira e carregou a nossa bandeira a bela mineira Marta Azevedo, eleita a mais bonita do festival e capa da revista final.
FIDEL NO BRASIL- Vitorioso em Cuba, em 1959 Fidel Castro esteve no Rio. O embaixador Vasco Leitão da Cunha lhe ofereceu um banquete. Estava lá todo o society carioca, deslumbrado com o charuto enorme e a engomada farda de Fidel. De repente, aproxima-se dele um homem gordo e vermelho:
– Senhor primeiro-ministro, só não lhe perdoo os fuzilamentos em Cuba.
– Pois posso assegurar ao senhor que só fuzilei os ladrões dos dinheiros públicos.
O homem gordo e vermelho ficou ainda mais vermelho. Era Adhemar de Barros.
LOTT E CUBA – A vitoria de Fidel, Guevara e seus companheiros continuava empolgando a juventude latino-americana, inclusive a brasileira. A primeira pergunta para o Marechal Lott, numa entrevista coletiva na ABI, em 1960, no lançamento de sua candidatura à presidência da Republica, foi um desastre:
– General, o que o senhor acha de Fidel Castro?
– Venceu prometendo uma democracia e está governando com uma ditadura. Disse que era democrata e agora está se aliando à União Soviética que é uma ditadura.
A juventude aplaudia o Imperador de Havana, que está sendo enterrado como os imperadores: numa semana inteira. O século 20 acabou.

Acredite se quiser! Renan Calheiros agora defende extinção do foro privilegiado

Resultado de imagem para renan calheiros charges
O mutante Renan virou personagem de cordel
Deu em O Tempo
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu nesta quarta-feira (30) o fim do foro privilegiado, mas ponderou que a proposta deve valer para todas as autoridades. “Essa questão da prerrogativa é muito complicada, temos 23 mil pessoas com essa prerrogativa, temos que revisar e acabar com isso, mas tem que valer para todos”, disse.
Para Renan, restringir o fim da prerrogativa apenas para agentes com mandato eletivo seria “criminalizar” a classe política. “Não se pode fazer isso”, afirmou.
Nesta quarta, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou a Proposta de Emenda Constitucional que estabelece o fim do foro para autoridades em crime comuns. A PEC seguirá para o plenário. De acordo com o relatório aprovado, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), perderão a prerrogativa de foro cerca de 22 mil autoridades.
As novas regras se estendem inclusive ao presidente da República, ministros de Estado, congressistas e ministros do Supremo Tribunal Federal.
JULGAMENTO NO STF – Renan Calheiros evitou comentar sobre o seu julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), previsto para acontecer nesta quinta-feira (1º). Caso os ministros aceitem a denúncia, o senador se tornará réu no Supremo.
Questionado sobre se estava preocupado com o resultado, o peemedebista se limitou a dizer que é preciso “exercitar a separação dos poderes”. “É muito importante que cada um cumpra a sua parte”, declarou. Renan é investigado em pelo menos outros 11 processos na Corte.
Renan também não quis comentar sobre os confrontos entre manifestantes e a polícia militar durante protesto em frente ao Congresso contra a Proposta de Emenda Constitucional que estabelece limite para gastos públicos. “Ontem fui de dedicação absoluta ao que estava acontecendo no plenário”, desconversou.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Mudou o Natal? Ao que parece, quem mudou foi Renan Calheiros, que está encerrando seu mandato de presidente do Senado com uma boa iniciativa, a investigação sobre os supersalários. Como ensina Jorge Benjor, se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto honesto só por malandragem, caramba!. (C.N.) 

Mais escândalo: AGU deu parecer contra a obra, antes de Temer sugerir consulta

Resultado de imagem para grace mendonça agu
Ministra Grace, da AGU, também estava envolvida na trama
Mariana Schreiber 
Da BBC Brasil
Prédio em Salvador onde Geddel comprou apartamento na planta causou a mais nova crise no governo Michel Temer e agora se sabe que a Advocacia-Geral da União (AGU), antes de o presidente sugerir a consulta, já se manifestara a favor da manutenção da decisão do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de derrubar autorização para construção de um edifício de 30 andares em área histórica de Salvador, o empreendimento La Vue.
O entendimento foi apresentado por meio de um parecer datado de 9 de novembro da procuradoria do Iphan, instância que representa a AGU no órgão. A BBC Brasil teve acesso ao documento, que inclusive tem o timbre da Advocacia-Geral da União.
Quatro funcionários de carreira da AGU ouvidos pela BBC Brasil disseram que uma revisão dessa manifestação nas atuais condições do processo fugiria aos trâmites normais do órgão.
DECISÃO DEFINITIVA – Após esse parecer, a presidência do Iphan tomou, no dia 16 de novembro, decisão definitiva determinando que o prédio deveria ter no máximo 13 andares, para não prejudicar a visibilidade de locais históricos.
A AGU foi trazida para o centro da crise que já derrubou dois ministros – Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Marcelo Calero (Cultura) – após o presidente Michel Temer reconhecer que sugeriu que o órgão fosse acionado para solucionar um suposto impasse jurídico evolvendo o empreendimento.
Geddel, amigo pessoal do presidente, tem um apartamento comprado na planta desse edifício e, segundo Calero, desde junho o pressionava a conseguir que o Iphan liberasse a obra.
SETE DIAS DEPOIS – De acordo com o ex-ministro da Cultura, ele reportou o caso a Temer pela primeira vez na noite do último dia 16, ou seja, uma semana após o parecer da AGU. No dia seguinte, Temer sugeriu que o ministro envolvesse a AGU na questão, pois o órgão daria uma solução ao assunto.
Ao ser questionado em coletiva no último domingo sobre essa conduta, Temer argumentou que havia um conflito administrativo entre o Iphan da Bahia, que havia previamente autorizado a obra, e o Iphan federal, que havia derrubado essa autorização.
Segundo outra manifestação do presidente, a AGU é o órgão competente para “identificar e propor soluções para as questões jurídicas relevantes existentes nos diversos órgãos da administração pública federal”, de acordo com o decreto 7.392/2010.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
 – A oportuna reportagem da BBC Brasil, citada aqui na TI por Virgilio Tamberlini, aumenta ainda mais o escândalo, mostrando que, além dos ministros Geddel Vieira Lima e Eliseu Padilha, da Casa Civil, também a ministra Grace Mendonça, da AGU, estava envolvida na trama para liberar o prédio acima do gabarito em Salvador e ia mudar o parecer. Vamos voltar ao assunto, que é gravíssimo(C.N.)

Fonte: http://www.tribunadainternet.com.br/

Nenhum comentário: