terça-feira, 1 de novembro de 2016

FRASES DO DIA (29,30 E 31/10/2016) - INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS

Marco

“A eleição de Marcelo Crivella é um marco na ascensão dos pastores evangélicos na política brasileira” – Bernardo Mello Franco, jornalista – Folha de S. Paulo, 31-10-2016.

Conciliador

"Crivella é branco, tem nível superior e se articula melhor que a média dos pastores. Ao mesmo tempo, investiu muito na imagem de conciliador, o que o ajudou a atrair eleitores católicos" – Maria das Dores Campos Machado, socióloga – Folha de S. Paulo, 31-10-2016.

Surfe

"Crivella surfou a onda conservadora que cresce em todo o país" – Maria das Dores Campos Machado, socióloga – Folha de S. Paulo, 31-10-2016.

Elite intelectual

“Quem perdeu no Rio foi uma elite intelectual, artística e universitária que se considera, com a mais pura sinceridade, mais esclarecida e moralmente superior ao resto do país; pessoas que ela secretamente odeia e das quais, ao mesmo tempo, espera total adesão. Uma classe que tem ojeriza visceral à classe média, que considera religião falha de caráter e que demoniza a ambição de subir na vida” – Joel Pinheiro da Fonseca, economista formado pelo Insper e mestre em filosofia pela USP – Folha de S. Paulo, 31-10-2016.

Capeta!

“CHORA CAPETA!
CHORA FREIXO!
CHORA PSOL!
CHORA JORNAL O GLOBO!
CHORA REVISTA VEJA!
CHORA PT!
CHOREM ESQUERDOPATAS!” – Silas Malafaia, pastor, no Twitter, 30-10-2016.

Candidatura morta

"É muito cedo para a gente dizer quem vai ser candidato forte em 2018. O Lula não é mais candidato ou não reúne mais condições para ser o candidato do PT em 2018, e você tem a Lava Jato, que fez com que o noticiário político migrasse da editoria de política para a editoria de polícia, e agora vai migrando gradativamente para aquela seção do jornal onde são publicados os avisos fúnebres. Algumas candidaturas já estão mortas, a candidatura do Lula está morta" – Josias de Souza, jornalista – portal Uol, 31-10-2016.

É cedo...

Aqui em São Paulo, tivemos o Eduardo Suplicy como o mais votado da Câmara de Vereadores. É cedo para decretar a falência do PT” – Leonardo Sakamoto, jornalista – portal Uol, 31-10-2016.

... para a falência

"No Ceará, a família Gomes mantém o seu poder sobre Fortaleza. Flávio Dino, no Maranhão, consolida a vitória de um aliado na capital, São Luís, com mais prefeituras do que o Sarney no Estado. O próprio Marcelo Freixo, no Rio de Janeiro, com o PSOL elegendo a segunda maior bancada no Rio” – Leonardo Sakamoto, jornalista –portal Uol, 31-10-2016.

Paradoxo de Aécio

"Aécio tem que enfrentar agora um paradoxo: ele acha que é uma coisa, mas a realidade está mostrando que ele é outra coisa diferente. Ele acha que é o candidato natural do PSDB à presidência em 2018. A realidade mostra que ele já não é o candidato natural" –Leonardo Sakamoto, jornalista – portal Uol, 31-10-2016.

Grande vitorioso

"Já há dentro do PT inclusive esforços para um comitê Ciro 2018” – Carlos Melo, cientista político do Insper – portal Uol, 31-10-2016.

Grid de largada

"Herdando alguma parte desse capital do Lula, o Ciro poderá estar no segundo turno. O que a gente pode dizer é que hoje, 30 de outubro de 2016, a eleição 2018 começou. Mas ela já começa não com um grid de largada definido, mas com uma enorme disputa para ver quem é que vai chegar a esse grid de largada. A primeira impressão que nós temos é o que o PT não estará lá" – Carlos Melo, cientista político do Insper – portal Uol, 31-10-2016.

Nem na ditadura...

“O presidente Michel Temer, que se apresentou ao país como um "pacificador", resolveu reformar o ensino médio do país editando uma Medida Provisória. Nem durante a ditadura aconteciam coisas assim” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 29-10-2016.

Gol de placa

“Enquanto a torcida se distrai com as eleições municipais, os deputados articulam uma nova jogada na Câmara. O plano é driblar o Ministério Público e aprovar uma anistia geral ao caixa dois. Se der certo, será um gol de placa do sistema político ameaçado pela Lava Jato” – Bernardo Mello Franco, jornalista – Folha de S. Paulo, 30-10-2016.

Acordão

“O novo acordão para "estancar a sangria" tem o aval do governo Temer e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Na quarta (26), ele repetiu uma tese dos réus do mensalão: caixa dois e corrupção seriam "coisas distintas", sem ligação entre si” – Bernardo Mello Franco, jornalista – Folha de S. Paulo, 30-10-2016.

Silêncio

“Não há sinal de projeto político que indique saída socialmente palatável ou pactuada desse angu amargo em que estaremos metidos. Isto é, que dê sinal de esperança ou sugira divisão mais justa dos custos do ajuste, para ficar apenas no básico” – Vinicius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 30-10-2016.

Turismo doméstico

“Na conta de quem viu a papelada, a colaboração das empreiteiras levará para os tribunais superiores pelo menos dez governadores e ex-governadores. O prosseguimento das investigações incentivará o turismo domestico para a rede hoteleira federal de Curitiba” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 29-10-2016.

Os sádicos

“Michel Temer deve tomar cuidado. Em seu governo há uma boa dúzia de sábios especializados em anunciar medidas amargas que encantam aquilo que se chama de mercado. Vem um e revela mudanças no regime trabalhista, outro antecipa mordidas nas pensões e um terceiro quer taxar quem aluga seu apartamento por temporada. Os çábios sádicos parecem desajeitados, mas são espertos. Fritam o governo, mas quando ele acaba conseguem bons empregos nas empresas cujos interesses defendiam. Em geral, aninham-se no mundo do papelório” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 29-10-2016.

Nenhum comentário: