terça-feira, 15 de novembro de 2016

FRASES DO DIA (12 A 14/11/2016) - INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS

Merkel

“Como previsto, a eleição americana da última terça-feira deu a liderança do Ocidente a uma mulher. Mas, ao invés de Hillary Clinton, a escolhida foi Angela Merkel” – Celso Rocha de Barros, doutor em sociologia pela Universidade de Oxford.

Fraldas de Trump

“Aparentemente, os homens brancos americanos acharam que, além de lidar com a crise do Euro, o drama dos refugiados e os malucos do Brexit, Frau Merkel poderia emendar uma quarta jornada de trabalho trocando as fraldas de Donald Trump. Ficam aqui nossos votos de boa sorte à chanceler alemã, em que pesem nossas discordâncias” – Celso Rocha de Barros, doutor em sociologia pela Universidade de Oxford.

Trump, Putin, Le Pen, Thersa “Brexit” May e o PCC

“Dependendo do resultado das próximas eleições francesas, o Conselho de Segurança da ONU pode ter Trump, Putin, Le Pen, Theresa "Brexit" May e o Partido Comunista Chinês. Este último, aliás, restará como o defensor remanescente do livre-comércio, mas não oferece uma visão inspiradora como a democracia moderna. Se a questão dos refugiados derrubar Merkel, a globalização não terá mais centro digno do nome” – Celso Rocha de Barros, doutor em sociologia pela Universidade de Oxford.

Teus sinais

“Cresce no PT o receio com a possibilidade de delação de Paulo Ferreira. A mulher do ex-tesoureiro, a ex-ministra Tereza Campello, não quis trabalhar na liderança da minoria no Senado. A vontade de manter distância foi vista com preocupação” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 14-11-2016.

Nua e crua

“A área econômica constatou que a eleição de Donald Trump à Casa Branca atrasará a retomada do crescimento brasileiro — nos bastidores, fala-se em PIB inferior a 1,6% em 2017” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 13-11-2016.

Efeito cascata

“Uma alta forte dos juros nos EUA fará com que boa parte do dinheiro investido no mundo migre para o mercado americano em busca de menores riscos de calote. Cenário assim pode levar o BC a reduzir o ritmo de queda da taxa Selic” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 13-11-2016.

Quero ser grande

“Em busca de se firmar como força política, o Movimento Brasil Livre divulgará o plano de eleger 15 deputados federais ligados ao grupo em 2018” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 13-11-2016.

Turma

“O anúncio será feito no congresso nacional do MBL, no próximo fim de semana. Gilmar Mendes e João Doria irão ao encontro” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 13-11-2016.

Negação da República

“Se a Câmara aprovar o novo texto da Lei de Leniência e a anistia ao caixa dois, voltará do feriado proclamando a Negação da República” – Chico Alencar, deputado federal – PSOL-RJ, sobre projetos de lei que tramitam na Câmara com o propósito de beneficiar congressistas investigados na Operação Lava Jato.

No muro

“As antenas políticas de Michel Temer captaram sinais de que os tucanos estão voando em direção ao muro. É sempre bom lembrar que o pedido de cassação da chapa Dilma-Temer foi ajuizado em 2015 pelo PSDB” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 12-11-2016.

Ilusão

“A ideia segundo a qual Trump prometeu uma coisa e entregará outra é uma ilusão. A taxa de fidelidade dos presidentes americanos está em 70% e o fenômeno Dilma Rousseff aconteceu no Brasil e deu no que deu” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 12-11-2016.

No peito

“É provável que Trump não construa o muro do México, assim como não deportará 11 milhões de imigrantes. Deportará muita gente e já conseguiu espalhar o medo, desestimulando quem pensava em emigrar no peito” – Elio Gaspari, jornalista – Correio do Povo, 12-11-2016.

Perdedores da globalização

“Partindo da premissa de que o voto em Trump provenha dos perdedores da globalização, quanto maior a desigualdade causada pelo avanço neoliberal maior será a reação dos de baixo. O protesto de trabalhadores cuja condição de vida cai à medida que a mobilidade de gente e de capitais destrói empregos tenderá a crescer. Pouco importa se o porta-voz da indignação é alguém que, individualmente, teve sucesso dentro do sistema” – André Singer, cientista político – Folha de S. Paulo, 12-11-2016.

Coisa de extremista

“A hegemonia do neoliberalismo foi tão longe que transformou até o velho programa conciliador keynesiano em coisa de extremista” – André Singer, cientista político –Folha de S. Paulo, 12-11-2016.

Aliança

“A transformação que vem pela extrema direita propõe uma aliança entre os muito ricos e os setores atingidos pela modernidade para combater os pobres e seus aliados da classe média progressista. Para isso, nacionalismo e autoritarismo são indispensáveis” – André Singer, cientista político – Folha de S. Paulo, 12-11-2016.

Frente ampla

“Para os democratas, um desafio se impõe. Como organizar uma frente ampla o suficiente para ter chance de ser maioria — o que só é possível em consonância com setores de centro — e ao mesmo tempo radical o suficiente para ser uma alternativa aos que vão sendo triturados pelo moinho satânico do capital? Hora de a inteligência trabalhar” – André Singer, cientista político – Folha de S. Paulo, 12-11-2016.

Nenhum comentário: