domingo, 9 de outubro de 2016

O GOLPE NO GOLPE

Uma coisa ficou patente nestas eleições municipais, o PT praticamente sumiu do cenário político levando consigo a outrora grandeza e hegemonia que marcaram sua passagem meteórica nestes 13 anos no poder.
E, fazendo um balanço, a gente tira algumas conclusões bem evidentes: seu objetivo de se apoderar de tudo e de todos, e seu projeto criminoso de poder, pois está aí à mostra a corrupção desenfreada que contaminou seus "pares", suas figuras mais proeminentes, algumas já cumprindo penas e outras em vias de serem presas. 
Aparelharam (ou procuraram) aparelhar tudo, todos os segmentos dos três poderes, e, para isso, a legislação bondosa e permissiva permite indicar ministros para tudo quanto é cargo fora o poder de se imiscuir nas presidências e direções dos bancos e estatais, seus fundos de pensão (e essa regalia ainda vai persistir por muitos e muitos anos, a não ser que um legislativo menos comprometido faça alguma coisa para impedir).
Essa orgia sem limites, sem se atentar para a despesa que acarreta, chega ao cúmulo de criarem cargos e comissões para abrigarem aliados e militantes. E quem paga por tudo isso, e que a maioria nem toma conhecimento, é o povo. Sem dizer que tudo em Brasília, nas cercanias e dentro do poder, é jogado para cima, os salários e mordomias, no percentual que bem entenderem e da maneira que acharem melhor.
Bom, feito este "prefácio", o PT que se apossou do poder, fez tudo com muita inteligência, aliou ao de pior na política sabendo de suas consequências. 
No início era tudo maravilha, um paraíso. Bolsa família para abrigar e melhorar de vida os pobres antes abandonados pelo poder constituído, bolsa banqueiro e bolsa empreiteiro para abrigarem os financiadores de campanha, e por aí vai. 
Esse pacote de bondades, com certeza, iria desembocar num buraco sem fundo. Esta conta, a fundo perdido, vinha de alguém, de nossos impostos, que nunca são suficientes para pagar o que os políticos armam e vão criando ao longo dos tempos.
O PT tinha tanta certeza da impunidade e de que estava no caminho certo, hipnotizado todo mundo, que mentiram descaradamente na última campanha presidencial, fazendo caridade com tarifas fora da realidade e deu no que deu.
Esta hipnose atingia no fígado seus militantes tontos que até hoje argumentam que o impeachment foi golpe, mesmo que este "golpe"tenha "percorrido" todo um "protocolo" e as instâncias regulamentares, dentro da lei, e, foi a maneira, se golpe mesmo, que os políticos encontraram para "apear" do poder o ex-partido dos pobres e oprimidos na pessoa da presidenta (que é a figura mais emblemática do PT atual).
Eis aí o resultado de tudo isso: o povo deu um golpe no golpe, nesta cantilena de "Fora Temer" e de que todos que eram contra eles eram golpistas, maneira sutil que encontraram para tentar encobrir os malfeitos e a corrupção sistêmica que empobreceu a Petrobras, os fundos de pensão das estatais e dos bancos federais.
Não poderia terminar de outra jeito. E zéfini!!!
E no balanço das horas tudo pode mudar, e mudou. Como no conto da carochinha e na história em quadrinhos, apareceu um super herói para botar tudo a perder (para eles), a Lava Jato, que ismiuçou os estertores do poder.
O escondido apareceu, o que estava debaixo do tapete e debaixo dos panos vieram à tona. E, somente assim, surgir do nada um poder maior para desmascarar tudo de errado, que, na visão deles, era o certo.
Agora, vamos para o segundo turno, embora ainda permaneça em alguns municípios resquícios e herança deste período que deveríamos esquecer para todo o sempre. 
Socialismo predador, nunca mais!
Amém!!!

Nenhum comentário: