sexta-feira, 21 de outubro de 2016

FRASES DO DIA (20/10/2016) - INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS

A captura

“Eu vou ser preso, eu vou ser preso”, repetia um impaciente Eduardo Cunha, pelo telefone, a integrantes do governo ao saber que a PF estava no seu encalço. Parecia pedir ajuda. Pela manhã, no imóvel que já deveria ter devolvido à Câmara, havia recebido alguns poucos aliados. Como num dia normal, queixou-se de abandono e quis saber como Rodrigo Maia se saía no papel que considerava seu. Informado da ação, disparou ligações. “Estão atrás de mim. Vou acabar pagando esse preço” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Não dá mais

“Cunha também perguntou sobre o projeto de repatriação. “Mas de nada adianta, o que é atribuído a mim ou a minha família está bloqueado”, lamentou” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Mora ao lado

“O peemedebista chegou abatido à carceragem da PF em Curitiba. Foi logo trancado. Fará companhia a Antonio Palocci. Apenas uma cela separa os dois presos da Lava Jato” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Socos e pontapés

“A polícia se preocupou em não deixá-lo no mesmo pavilhão de Alberto Youssef e Marcelo Odebrecht — além de dificultar troca de informações, quis evitar que ele e o doleiro, seu desafeto, se estranhassem” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Poderoso chefão

“Um integrante do Estado Maior da Lava Jato não segurou o riso. “Em uma semana ele estará mandando na custódia da PF. Vai mandar até no Marcelo” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Mais uma dose

“Como de costume, vários deputados ocupavam mesas de uma churrascaria na Asa Sul quando da notícia da prisão. De imediato, começaram a circular nervosamente pelo restaurante. “Nossa profissão é de risco”, disse um aliado de Cunha a um tucano” –Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Sem cabeça

“Foi de lá que partiu a articulação para adiar os trabalhos no Congresso — um pouco por luto, outro tanto para poupá-lo. “Vão usar o tempo todo para malhar o Cunha”, argumentou um amigo protetor” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Deixe seu recado

“Aliados muito próximos de Cunha “desapareceram” com seus telefones celulares assim que a prisão foi divulgada” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Nuvens negras

“No Planalto, a reação em certas salas após a notícia foi de silêncio absoluto. “Tudo ficou nublado”, disse um palaciano” – Natuza Nery, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Mistério

“Eduardo Cunha é um planejador obsessivo dos próximos passos. E esperou meses pela decisão de Moro, sem qualquer ato interpretável como desejo de fuga. Deixou em mistério os motivos da atitude própria de uma pessoa despreocupada, com a vida em ordem, entre os comuns. Mas que houve motivos para estar ou mostrar-se assim, o mais adequado é não duvidar” – Janio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Silêncio eloquente

“O silêncio do Planalto não poderia ser mais eloquente. A prisão de Eduardo Cunha deu um baque no governo Temer e pôs fim à ilusão de que a tormenta teria ficado para trás. Depois de semanas de calmaria, o novo regime volta a navegar em mar revolto, com o vento soprando forte a partir de Curitiba” – Bernardo Mello Franco, jornalista –Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Rivotril

"Os estoques de Rivotril em Brasília vão desaparecer das gôndolas das farmácias" – um general da Lava Jato definiu o clima na capital – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Mais um

“Gilmar Mendes faz escola. Luiz Fux precipita, publicamente, sua opinião no caso, "sub judice", de possíveis irregularidades financeiras na campanha da chapa Dilma-Temer. Acha que os dois são separáveis, o que livraria Michel Temer da ameaça de perder o mandato. Luiz Fux esqueceu de explicar, sendo a responsabilidade só de Dilma, como e por que a prestação de contas para a Justiça Eleitoral é assinada pelos dois” – Janio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 20-10-2016.

Nenhum comentário: