domingo, 9 de outubro de 2016

DEU NO JORNAL (BLOG "BESTA FUBANA")

MEDALHA MERECIDA

A faxineira Valdeci Melo assinou em maio de 2015 um recibo de R$ 1.223,70, referente a seu salário de março, mais vale-transporte e alimentação. Coisa rotineira, sem importância, não fosse por alguns detalhes.
Valdeci presta serviços para Thaís Velloso Pimentel, ex-mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel.
A Polícia Federal deparou com documento tão prosaico um mês após sua assinatura, na sede de uma empresa de consultoria chamada OPR, durante diligências da Operação Acrônimo, que investiga um esquema pelo qual Pimentel é suspeito de receber propina em troca de favores prestados a empresas enquanto foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio do governo Dilma Rousseff.
A polícia recolheu evidências de que o papel estava ali porque era a OPR, e não Thaís, quem pagava o salário de Valdeci.
Pimentel foi um dos sócios da empresa até 2014. Quando saiu do negócio, deixou um de seus antigos sócios como controlador. A PF tem evidências de que a OPR era um meio usado por ele para recolher propina. Durante a campanha eleitoral daquele ano, a OPR recebeu R$ 500 mil do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano de Belo Horizonte. A PF descobriu agora que Pimentel usava a OPR não apenas para receber, mas também para pagar contas pessoais. O pagamento de Valdeci é uma das provas disso, mas há outras. Naquele mesmo maio de 2015, a OPR pagou despesas da atual mulher do governador, Carolina Oliveira: foram R$ 2.200 de taxas de condomínio de dois apartamentos e de uma agência de turismo. Pagou também, desde 2013, faturas de cartão de crédito e contas de telefone em nome de Pimentel.
* * *
Em se tratando de um guabiru petralha, ex-ministro de Vaca Peidona – e diante de um documento assinado e irrefutável -, esta defesa de Pimentel fica por conta do nosso querido campeão em contorcionismo, o fubânico Goiano.
Aliás, por falar com contorcionismo, não deixam de modo alguma de ler a coluna dele, publicada hoje no JBF. É só ir rolando a tela que está aí embaixo.
Recomendo com entusiasmo e digo que vale a pena ler e meditar. Um texto arretado e bem escrito, como todos de sua lavra. Brilhante, digo sem medo de errar. Na verdade, é um privilégio editar um jornal que tem um colaborador deste porte.
Trata-se de um advogado perfeito para um constituinte criminoso de altíssimo escalão e com muito dinheiro pra gastar na defesa. Um causídico que deveria integrar a equipe da defesa de Lula, sem qualquer sombra de dúvida.
Em termos de fechar os olhos e ignorar a realidade ao redor, deixar de lado fatos concretos, provas e documentos, a coluna de hoje do Goiano está merecendo uma Medalha de Diamante na modalidade Artes Explicatórias.
Atentem para este trecho:
Se o pouco que sabemos dos bastidores, somado ao que se deixa aqui e ali escapar, nos permite uma análise sociológica, política, psicológica e até jurídica da bem sucedida perseguição sistemática de que falamos, pode-se imaginar o quanto de encoberto existe – e suspeitar de quanta ignomínia tem sido praticada para que as oposições atinjam seu intento de alcançar o poder.
Em outras oportunidades, pudemos observar que, historicamente, o “devido processo legal” tem sido contaminado por interferências de ordem religiosa, política, ideológica, sociológica, vale dizer, por interesses do poder dominante ou ascendente, de modo a servir a tais interesses.
Estamos vendo isso acontecer hoje, aqui e agora. E muitos estão servindo, inconscientemente, a esses interesses, sem perceberem que rompem, subrepticiamente, com o Direito.
Merece ou não merece uma medalha???!!!
ct
“Não adianta: por mais que me esforce não consigo nunca superar Goiano”
Fonte: http://www.luizberto.com/

Nenhum comentário: