quarta-feira, 7 de setembro de 2016

ZERO X ZERO

Com as mãos abanando, sem nada para oferecer

Resultado de imagem para michel temer presidente charges
Vem aí mais um Sete de Setembro. Não há certeza se Michel Temer desfilará de carro aberto pela Esplanada dos Ministérios antes de empoleirar-se no palanque das autoridades para assistir o desfile cívico-militar comemorativo do Dia da Independência do Brasil. Mas não deixará de abanar as mãos para quantos consigam vê-lo das calçadas. A verdade é que receberá a continência das Forças Armadas, os cumprimentos de seus ministros e do corpo diplomático, ainda que povão, mesmo, só de longe e sem entusiasmo.
O presidente está devendo sua identidade com o país. Aguarda-se um plano de governo. Pelo menos um elenco de reformas capazes de sensibilizar a opinião pública. Mesmo em se tratando de medidas de sacrifício, de cortes de gastos e de supressão de direitos sociais,  seria bom que Sua Excelência passasse dos enunciados genéricos para o conteúdo prático.
O BEM E O MAL – Recomendou Maquiavel que o Príncipe anunciasse de uma vez todo o mal necessário à sua permanência no poder e depois, aos poucos, fizesse o bem. Ouve-se falar nas restrições às aposentadorias e pensões, na extinção de prerrogativas trabalhistas, no aumento de impostos, na compressão salarial e demais maldades. Nada a respeito da melhoria das condições de vida das massas e da redução de encargos de que vive de salário, a começar pela vergonha de um salário mínimo que no próximo ano chegará aos 945 reais.
Fica difícil imaginar o novo governo conquistando apoio popular, mas o perigo é que perca o pouco que lhe resta de respeito. Em poucos meses faltarão condições a Temer para enfrentar o cidadão comum, caso não se decida a dizer a que veio.  Equilibrar as finanças, iniciativa ainda em dúvida, não bastará para ser reconhecido como representante do povo. Logo a inércia popular se transformará em manifestações de protesto por onde passar. Legitimidade e representatividade não se conquistam sem resultados. Muito menos, popularidade. Jamais com as mãos abanando, sem nada para oferecer.*
(*) Carlos Chagas – Tribuna na Internet

QUE VÃO CHEGAR NELE, NÃO TENHO DÚVIDAS

Marcos Valério se prepara para denunciar Lula ao juiz Sérgio Moro

A 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, que já está processando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por envolvimento no esquema da compra do silêncio de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, juntamente com o ex-senador petista Delcídio Amaral, o banqueiro André Esteves, do BTG, e outros envolvidos, agora está investigando também outro crime atribuídos a Lula.
Desta vez, o inquérito apura a compra do silêncio do publicitário Marcos Valério no escândalo do Mensalão. Estão sendo investigados também dois cúmplices de Lula – o ex-ministro Antonio Palocci e Paulo Okamotto, que preside o Instituto Lula
DELAÇÃO DE DELCÍDIO – A denúncia foi relatada por Delcídio, que firmou acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato. Em seus depoimentos, o ex-senador contou ter sido procurado por Valério quando presidiu a CPI dos Correios, entre 2005 e 2006, e o publicitário ameaçava entregar o PT se não recebesse o pagamento de uma dívida de R$ 220 milhões. Delcídio revelou que empreiteiras investigadas pela Lava Jato colaboraram para a quitação da dívida.
Outra frente de investigação que envolve Lula tem como origem um depoimento dado em 2012 por Valério ao Ministério Público Federal na tentativa de firmar um acordo de delação. Nele, o publicitário disse que a empresa Portugal Telecom pagou uma dívida de US$ 7 milhões do PT.
A Polícia Federal e o Ministério Público abriram inquérito para investigar o caso, mas acabaram pedindo seu arquivamento. No entanto, a 10ª Vara Federal, comandada pelo juiz Ricardo Leite, solicitou a retomada da investigação.
COM SÉRGIO MORO – Valério irá a Curitiba na próxima segunda-feira, dia 12 de setembro, para prestar depoimento ao juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato. o publicitário é uma das testemunhas convocadas para falar sobre o empréstimo de R$ 12 milhões feito pelo pecuarista José Carlos Bumlai ao banco Schaim, cujo destinatário final do dinheiro foi o PT.
No mesmo depoimento de 2012, Valério relatou que parte desse empréstimo foi destinada ao empresário paulista Ronan Maria Pinto, que, segundo o publicitário, ameaçava envolver petistas no assassinato do ex-prefeito Celso Daniel, que foi morto em 2002, antes da primeira eleição presidencial de Lula.
O depoimento de Valério está sendo aguardado com muita expectativa, porque ele está tentando uma delação premiada para reduzir sua pena do mensalão. Há informações de que vai denunciar a participação direta do então presidente Lula no esquema de pagamento de propinas a parlamentares da base aliada e dar novas informações sobre o assassinato do prefeito Celso Daniel.
INFERNO ASTRAL – Lula atravessa um inferno astral permanente, e seus problemas na Justiça estão se agravando de forma progressiva, com envolvimento da mulher Marisa Letícia e dos filhos Fábio e Luís Cláudio.
No final de semana, foi divulgado que o ex-senador Delcídio d Amaral, o ex-deputado Pedro Corrêa e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, em depoimentos separados, revelaram que o ex-presidente participava diretamente do esquema de corrupção na Petrobras. Ou seja, era mesmo o chefe da quadrilha.
EM CURITIBA – As declarações de Delcídio foram dadas aos procuradores da Lava Jato em Curitiba, responsáveis por alguns dos inquéritos contra o ex-presidente, já em fase final de apuração. O ex-senador afirmou que Lula tinha contato direto com alguns diretores da Petrobras, sem intermediários, e Renato Duque confirmou essa informação. Delcídio também revelou que o sítio de Atibaia (SP) sempre foi referido como propriedade de Lula por amigos e aliados.
Portanto, confirma-se a informação do ministro-relator da Lava Jato no Supremo, Teori Zavascki, de que o pior ainda está para vir.*
(*) Carlos Newton – Tribuna na Internet

Ô COITADA!

Com aposentadoria de R$ 5 mil, Dilma precisa
trabalhar para suprir necessidade, diz Kátia Abreu
ZUVXZ14124889_596154730564201_4850307271975992418_o
“A presidente já fez as contas de sua aposentadoria e deve se aposentar com cerca de R$ 5 mil. Então, precisa continuar trabalhando para suprir as suas necessidades”, disse a senadora. Ela também adiantou que Dilma não tem a intenção de se candidatar
Ex-ministra de Dilma Rousseff, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) defendeu que os colegas votassem contra a inabilitação da petista. Entre os argumentos utilizados, a peemedebista disse que certamente, após deixar a presidência, Dilma seria convidada para dar aulas ou prestar consultoria para parlamentares – que seria inviabilizado por uma eventual decisão de inabilitá-la. “A presidenta Dilma precisa continuar trabalhando para poder suprir as suas necessidades”, apelou Kátia Abreu.
A senadora contou que conversou com a ex-presidente e afirmou que, ao se aposentar, Dilma receberá cerca de R$ 5 mil por mês de aposentadoria. O argumento foi usado para dizer que a petista precisa continuar trabalhando.
“Peço aos colegas que não apliquem essa pena de inabilitação (dos direitos políticos) pela sua honestidade e idoneidade, independentemente de erros que alguns concordam que ela tenha cometido. A presidente já fez as contas de sua aposentadoria e deve se aposentar com cerca de R$ 5 mil. Então, precisa continuar trabalhando para suprir as suas necessidades”, disse a senadora. Ela também adiantou que Dilma não tem a intenção de se candidatar.
Por fim, os senadores decidiram manter os direitos políticos de Dilma, com 36 votos – quando seriam necessários apenas 27. O fatiamento da punição foi proposto por parlamentares aliados de Dilma. O argumento foi aceito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.
O acordo foi costurado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que votou pela decretação da perda do mandato e pela manutenção do direito da agora ex-presidente exercer funções públicas. “No Nordeste, costumam a dizer uma coisa com a qual eu não concordo: ‘além da queda, coice’”, discursou.*
(*) LUMA POLETTI – DIÁRIO DO CONGRESSO
Fonte: http://www.contraovento.com.br/

Nenhum comentário: