sábado, 3 de setembro de 2016

VICES E VERSOS

No papel, Michel Temer parece até mais qualificado do que Itamar Franco. O problema são as companhias…
z-z-orlando
Com os escândalos de Collor e PC Farias explodindo na mídia, em algum momento caiu a ficha: se elle sair, quem vai entrar? Itamar Franco??? Meu Deus! Foi a reação geral. Mas foi ele, tido como um provinciano simplório e antiquado, que, em decisão de sábia audácia, nomeou um sociólogo ministro da Fazenda e bancou a criação do Plano Real, resolvendo um problema que durante 30 anos parecia insolúvel, nos dando uma moeda e mudando a História do Brasil. Pois é, Itamar, do pão de queijo, do topete ridículo…
O ex-vice Michel Temer só agora é presidente, antes esteve pressionado por exigências, amea- ças e chantagens, de partidos, de políticos, de corporações, que não podia enfrentar como interino. Engoliu tudo e esperou sua hora. Agora não tem mais desculpas, tem que fazer o que tem que ser feito. Seu look de mordomo de filme de terror, seu carisma zero, sua aparência antiga e conservadora não ajudam na missão ciclópica de resgatar o Brasil da beira do abismo de nossas desesperanças.
As esperanças são sua vasta experiência e habilidade politica, fundamentais para qualquer mudança, sua carreira de jurista emérito, seu temperamento conciliador. No papel, Temer parece até mais qualificado do que Itamar. O problema são as companhias… O que esperar de velhas raposas, muitas delas agatunadas, algumas competentíssimas, de volta ao poder, onde na verdade sempre estiveram, inclusive no governo Dilma?
Mas ao menos há muita gente competente na área econômica, a base de tudo. Agora é o melhor momento para uma reforma política. A opinião pública está mobilizada, o país exige mudanças, os lí- deres políticos e os parlamentares têm uma oportunidade de reabilitação perante os eleitores. Neste reinício, com a sociedade vivendo uma mudança de paradig- mas que está levando políticos e empresários poderosos aos tribunais e à cadeia, o que esperar de Temer e seus aliados de ocasião?*
As reformas política, previdenciária e tributária podem ser o Plano Real de Temer e justificar seu mandato — e como chegou ao poder. Se não, vai virar o ex-vice Sarney, que também escrevia versos.*
(*) Nelson Motta – O Globo

ARMAÇÕES ILIMITADAS

Decisão de Lewandowski era o que Cunha ‘sempre quis’, diz Rodrigo Maia
z-z8
Maia, que está desde ontem despachando do terceiro andar do Palácio do Planalto no lugar do presidente Michel Temer, que está em viagem a China, disse que, por ele, tem “chance zero” de a cassação de Cunha não ser votada nessa data.BRASÍLIA – O presidente em exercício, Rodrigo Maia, disse ao GLOBO nesta sexta-feira que o ministro Ricardo Lewandowski fez, ao permitir o fatiamento do impeachment de Dilma e a manutenção de seus direitos políticos, o que Eduardo Cunha “sempre quis”. O presidente da Câmara afirmou que vai analisar na segunda-feira com a assessoria jurídica da Câmara qual é o impacto que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) tem sobre o caso Cunha, cuja cassação está marcada para o próximo dia 12.Para o presidente em exercício, Rodrigo Maia, o ministro Ricardo Lewandowski fez o que Eduardo Cunha “sempre quis” ao permitir o fatiamento do impeachment de Dilma .Maia disse acreditar que o STF não irá reverter o impeachment de Dilma. Para ele, a única questão que ainda pode ser revista é o fatiamento.— Acho difícil a decisão do impedimento ser revista. A única coisa que pode ser revista é o fatiamento. O presidente do STF participou da posse. Não vejo como reverter essa decisão — disse, completando em seguida: — Agora a política vai tratar da política. Não dá mais para ficar tratando desse assunto. Dilma já passou. Deixa ela para lá. O Congresso tem que olhar para frente. Deixa o Judiciário tratar disso (questionamentos sobre a votação do impeachment).— As coisas vão se ajustar. O DEM é governo. Não vamos cair na pegadinha de ficar criando atrito com o governo. Essa página está virada. Não foi confortável, mas está feito. O Renan foi pra China com o presidente. Ele tem uma experiência enorme, vai ajudar muito o governo. Não tem porque achar que um episódio pontual vai atrapalhar o papel dele no Legislativo — disse.O presidente da Câmara, que chegou a ser cogitado por Temer para ser o líder do governo na Câmara, reconheceu que causou mal-estar o acordo costurado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com aliados de Dilma para manter os direitos políticos da petista, mas disse que foi um problema pontual. Ele defendeu Renan e disse que o DEM não vai criar atritos com o governo.— Não li a decisão do Lewandowski, sei que ele vocalizou na linha do que o Cunha sempre quis. Na segunda-feira vou analisar, com a assessoria jurídica da Casa, o que pode ser feito. Só vou decidir sobre isso no dia 12, dia da votação, no plenário. Estamos analisando juridicamente se há impacto da decisão tomada no caso Dilma sobre o Eduardo Cunha — afirmou, brincando que só quer voltar a falar desse assunto no dia 7, quando deixa de ser presidente: “estou de férias desse assunto”.*
(*) CATARINA ALENCASTRO – O GLOBO

ALGUÉM DUVIDA?

LULA ERA O CHEFE DA QUADRILHA

Z-po
Lula era o chefe da quadrilha do petrolão.
Foi o que disse Delcídio Amaral à Lava Jato, segundo a Veja:
“O depoimento de Delcídio foi dado na quinta-feira. Segundo o ex-senador, Lula distribuiu as diretorias da estatal entre políticos aliados em troca do apoio deles no Congresso. Além de cuidar pessoalmente de cada detalhe do loteamento, da divisão dos postos à escolha dos nomeados, Lula teria pleno conhecimento de que os partidos usavam os cargos para cobrar propina de empreiteiras e financiar seus caixas e campanhas eleitorais. Era, segundo o ex-senador, uma ação coordenada de governo que tinha o objetivo de comprar apoio político-partidário com propina desviada de contratos superfaturados da Petrobras”.
E também:
“Ex-líder do governo Dilma e ex-líder do PT na gestão Lula, Delcídio depôs ao procurador Januário Paludo, integrante da força-tarefa da Lava-Jato. O ex-senador pontuou sua narrativa com uma espécie de divisor de águas. Ele declarou que havia nichos isolados de corrupção na empresa até a descoberta do mensalão, em 2005. Com o estouro do escândalo, Lula teve de reorganizar a base governista para escapar do impeachment. Para tanto, abriu ainda mais as portas da Petrobras a PMDB e PP”.*
(*) O Antagonista

Ó MORO AÍ, GENTE!

Tribunal de SP mantém com Moro denúncia contra Lula no caso tríplex
Z-RITA-LEE
A 10ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu manter a denúncia do caso tríplex 164-A do Guarujá atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ajuizada pelo Ministério Público de São Paulo, com a Justiça Federal do Paraná. A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal Central remeteu, em abril deste ano acusação para a Justiça Federal do Paraná. A defesa do petista nega que ele seja o dono do tríplex.
Nesta denúncia, Lula é acusado por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro por supostamente ocultar a propriedade de imóvel no Guarujá, reformado pela OAS. Também foram denunciados no caso tríplex a ex-primeira-dama Maria Letícia Lula da Silva, o filho do casal Fábio Luiz Lula da Silva e mais 13 investigados.
Na lista estão o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o empresário Léo Pinheiro, da empreiteira OAS, e ex-dirigentes da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários).
A investigação da Promotoria de São Paulo no caso tríplex provocou uma convulsão em São Paulo. Em fevereiro deste ano, o promotor Cássio Conserino tentou ouvir o ex-presidente e sua mulher no inquérito. No dia marcado, uma multidão de militantes petistas em protesto à intimação do casal e centenas de manifestantes contrários a Lula cercaram a entrada do Fórum Criminal da Barra Funda.
Segundo informação divulgada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, nesta quinta-feira, 1º de setembro, a decisão de manter o processo no âmbito federal teve votação unânime dos desembargadores e manifestação favorável da Procuradoria de Justiça. Em seu voto, o relator do recurso, desembargador Nuevo Campos, ressalta que “o caso aponta para a existência de robusta conexão com os fatos apurados na operação denominada ‘Lava Jato’, em trâmite perante o juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR)”.
O texto destaca ainda que o entendimento jurisprudencial e doutrinário em casos como esse é o de prevalecer a competência da Justiça Federal. Acompanharam o voto do relator os desembargadores Carlos Bueno e Galvão Bruno.
O caso tríplex levou ao indiciamento do ex-presidente Lula pela Polícia Federal, na Lava Jato do Paraná. O petista foi indiciado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Dona Marisa por corrupção e lavagem.
A conclusão do delegado federal Márcio Adriano Anselmo é que o casal “foi beneficiário de vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançaram R$ 2,4 milhões referentes as obras de reforma no apartamento 164-A do Edifício Solaris, bem como no custeio de armazenamento de bens do casal”.
A apuração do inquérito teve como ponto central reforma realizada no tríplex, construído pela Bancoop (cooperativa habitacional do sindicato dos bancários), que teve como presidente o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto – preso desde abril de 2015. O imóvel foi adquirido pela OAS e recebeu benfeitorias da empreiteira, acusada de corrupção na Petrobras. O ex-presidente seria o verdadeiro dono do tríplex- a defesa do petista nega taxativamente.
Além da reforma e compra de equipamentos para o tríplex do Guarujá, o indiciamento aponta o custeio pela OAS de armazenamento de bens de Lula na empresa Granero Transporte.*
(*) Estadão
Fonte: http://www.contraovento.com.br/

Nenhum comentário: