quinta-feira, 22 de setembro de 2016

TRÊS MENTIRAS QUE O PETISMO ESPALHOU DEPOIS QUE DILMA ROUSSEFF FOI CASADA

É preciso combater a desinformação a todo tempo.
Dilma Rousseff - STF - direitos politicos
A esquerda é talvez a mais potente máquina de propaganda que a humanidade já conheceu. Ela é capaz, por exemplo, de fazer com que ativistas encarem com naturalidade temas delicadíssimos como o aborto, uma prática que implica na morte de bebês ainda em formação.
E é claro que essa máquina segue ativa mesmo com o PT fora da Presidência da República.
Ao menos três graves mentiras tomaram o noticiário de assalto desde a cassação de Dilma Rousseff pelo processo de impeachment: a lorota de que o governo Temer havia “legalizado” as pedaladas fiscais (na verdade, a lei ajustada atingia a assinatura de decretos); a lorota de que o governo Temer queria ampliar a jornada de trabalho para 12 horas diárias (na verdade, cogitava ampliar o cardápio de opções para o trabalhador brasileiro, permitindo-o até mesmo que condensar a jornada de trabalho em apenas quatro dias por semana); e a lorota de que a Lava Jato não tinha provas contra Lula, mas convicções (a denúncia trazia mais de 300 anexos).
Felizmente os tempos são outros e a população não está refém de uma imprensa aparelhada que reverbera sem peso na consciência esse tipo de desinformação. E as redes sociais reagiram, fazendo com que os avanços do petismo se convertessem em tiros no próprio pé.
Contudo, o Implicante sabe e alerta: não serão as últimas mentiras. É preciso combater a desinformação a todo tempo.
A luta continua.
Fonte: http://www.implicante.org/

Nenhum comentário: