domingo, 11 de setembro de 2016

11 DE SETEMBRO (UMA TRAGÉDIA DIFÍCIL DE ACREDITAR)

OS ATENTADOS DO 11 DE SETEMBRO DE 2001


Os ataques
Fazem hoje QUINZE anos que o mundo assistiu via Televisão a uma das mais ousadas e cruéis acções terroristas de toda a História. Nesse dia, o mundo inteiro parou perplexo para acompanhar o ataque que deitou por terra um dos símbolos do poderio económico norte americano: as torres gémeas do World Trade Center (WTC). Pelo local costumavam transitar cerca de 200 mil pessoas, 50 mil das quais trabalhadores. O WTC tinha, no subterrâneo, um dos grandes entroncamentos de comboios urbanos da cidade de Nova York. Momentos mais tarde, em Washington o Pentágono, Sede do Ministério da Defesa e do Comando das Forças Armadas dos Estados Unidos, também era atacado, numa série de ataques suicidas, coordenados pela A-Qaeda contra alvos civis Americanos


Naquela manhã, meio ensonado ainda, cheguei à sala e num gesto instintivo carreguei no botão da Televisão como fazia em tantos outros dias, e numa primeira imagem fiquei convicto de que estaria perante um qualquer filme americano, como só eles sabem fazer. Fui alertado pela voz do locutor de serviço que descrevendo também ele incrédulo e estupefacto ia descrevendo o que as imagens iam mostrando. Esfreguei os olhos e deixei-me cair no sofá sem qualquer reacção para além daquela expressão que devo ter deixado alguns minutos depois. Corri ao telefone ao primeiro impulso que consegui ter, e num ápice pus-me em contacto com a minha mulher que já estava ao serviço àquela hora e atirei-lhe de rajada: Os Estados Unidos da América estão a ser atacados em pleno coração... acaba de chocar contra uma das Torres Gémeas um avião das linhas comerciais e nem me apercebi de que companhia era... pareceu-me um ataque suicida, a menos que tenha sido uma qualquer falha do avião ou da tripulação, mas desta maneira acho pouco provável... espera um outro avião embateu na outra Torre, caramba.... eu nem acredito no que estou a ver.... não é possível... - Estás a falar a sério ou isso é uma brincadeira de mau gosto, balbuciou a minha mulher do outro lado da linha??? Liga o rádio ou vai aí ao lado ao café e vê com os teus próprios olhos...Foram assim os momentos que se seguiram a este cruel atentado terrorista. Durante todo o dia a noticia não saiu das televisões de todo o mundo. As cenas que se seguiram nunca mais as consegui apagar da memória....

Relembremos o que se passou então. Naquela manhã, 11 de Setembro de 2001, quatro aviões comerciais foram sequestrados. Dois deles colidiram contra as torres do World Trade Center em Manhattan, Nova York, um terceiro avião, o American Airlines Flight 77, foi direccionado pelos sequestradores para uma colisão contra o Pentágono, no Condado de Arlington, Virgínia. Os destroços do quarto avião, United Airlines Flight 93, foram encontrados espalhados num campo próximo de Shanksville, Pensilvânia. A versão oficial apresentada pelo governo norte-americano afirma que os passageiros enfrentaram os supostos sequestradores e que, durante este ataque, o avião caiu. Os atentados causaram a morte de 3234 pessoas e o desaparecimento de 24.

Desde a Guerra de 1812, este foi o primeiro ataque de efeitos psicológicos e altamente correctivos imposto por forças inimigas em território americano. Causado por uma célula terrorista ligada à rede Al Qaeda, esse inimigo invisível deixou um saldo de mortes superior a 3 mil. Para se ter uma ideia quantitativa do seu resultado arrasador, só o ataque em si excedeu o saldo de aproximadamente 2400 militares norte-americanos mortos no ataque sem aviso prévio dos japoneses à base naval de Pearl Harbor em 1941; além disso, essa terrível demonstração de impunidade foi caprichosamente planeada e direccionada aos ícones americanos, praticada impunemente, e tendo como armas aviões comerciais. O acto agravou-se muito mais por ter sido transmitido ao vivo pelas cadeias de TV do mundo inteiro, com a própria tecnologia americana. Tal ataque, ainda sem precedentes em toda a história da humanidade, feriu profundamente o orgulho americano e superou, em muito, o efeito moral imposto às tropas americanas pela força aérea japonesa.

A cronologia do incidente

O horário está estabelecido segundo a hora local no leste dos Estados Unidos.
  • 08.00: o vôo 11 da American Airlines, um Boeing 767 com 92 pessoas a bordo, descola do Aeroporto Internacional Logan de Boston até Los Angeles.
  • 08.14: o vôo 175 da United Airlines, um Boeing 767 com 65 pessoas a bordo, descola do Aeroporto Internacional Logan de Boston até Los Angeles.
  • 08.21: o vôo 77 da American Airlines, um Boeing 757 com 64 pessoas a bordo, descola do Aeroporto Internacional Dulles de Washington até Los Angeles
  • 08.37: a FAA (a Administração Federal da Aeronaútica) notifica ao NORAD (North American Aerospace Defense Command , Comando de Defesa Aérea da América do Norte) que existe uma suspeita de sequestro do vôo 11 da American Airlines.
  • 08.41: o vôo 93 da United Airlines, um Boeing 757 com 44 pessoas a bordo, descola do Aeroporto Internacional de Newark até São Francisco
  • 08.46.30: o vôo 11 da American Airlines choca com a Torre Norte do World Trade Center (WTC).
  • 09.02.59: o vôo 175 da United Airlines choca com a Torre Sul do World Trade Center.
  • 09.03: a FAA notifica ao NORAD que existe uma suspeita de sequestro do vôo 175 da United.
  • 09.07: o Chefe de Empregados da Casa Branca avisa o presidente George W. Bush que os Estados Unidos se encontram sob ataque. O presidente, encontrava-se reunido com crianças de uma escola primária de Sarasota na Flórida.
  • 09.10 - 09.25: Richard Clarke, encarregado da oficina anti-terrorista, organiza uma vídeo conferência da Casa Branca com os mais altos chefes militares para organizar uma resposta.
  • 09.21: Fecham-se todos os túneis e pontes da ilha de Manhattan.
  • 09.26: a FAA proíbe a descolagem de todos os aviões civis.
  • 09.31: o presidente George W. Bush pronuncia um discurso na escola primária onde se encontrava, informando que se tratava aparentemente de um acto terrorista.
  • 09.34: a FAA notifica ao NORAD que existe uma suspeita de sequestro do vôo 77 da American.
  • 09.34: o presidente George W. Bush sai da escola primária de Sarasota até o aeroporto.
  • 09.37.46: o vôo 77 da American Airlines choca com o Pentágono.
  • 09.45: a FAA, (com ordens do Presidente) ordena a todos os aviões em vôo que aterrem imediatamente no aeroporto mais próximo.
  • 09.48: o Congresso dos Estados Unidos e a Casa Branca são evacuados.
  • 09.57: o presidente Bush abandona a Flórida.
  • 09.59: a Torre Sul cai.
  • 10.03.11: o vôo 93 da United Airlines cai num campo aberto em Shanksville, Pensilvânia.
  • 10:06: a FAA notifica ao NORAD que existe uma suspeita de sequestro do vôo 93 da United.
  • 10.28: a Torre Norte cai.
  • 11.:04: o edifício das Nações Unidas em Nova York é evacuado.
  • 11.45: o presidente Bush aterra na base aérea de Barksdale na Louisiana.
  • 13.04: o presidente Bush declara "Alerta Máximo" em todo o mundo e dirige-se à nação através dos meios de comunicação.
  • 13.37: o Presidente Bush deixa a bordo do Air Force One, a base de Barksdale.
  • 15.07: o Presidente Bush aterra na base aérea Offutt em Nebraska.
  • 16.36: o presidente Bush deixa a bordo do Air Force One, a base Offutt e ordena ser levado à Casa Branca.
  • 17.25: cai o edifício 7 de 47 andares do World Trade Center.
  • 19.00: o Presidente Bush chega à Casa Branca.
  • 20.30: o presidente Bush fala à nação.

As vítimas

As perdas humanas nos ataques de 11 de Setembro de 2001 foram elevadas: 265 nos aviões; pelo menos 2602 pessoas, incluindo 242 bombeiros, no World Trade Center e 125 no Pentágono. 3234 pessoas faleceram. Além das Torres Gêmeas de 110 andares do World Trade Center, 5 outras construções nas proximidades do World Trade Center e 4 estações subterrâneas de metro foram destruídas ou seriamente danificadas. No total, foram 25 prédios danificados em Manhattan. Em Arlington, uma parte do Pentágono foi sériamente danificada pelo fogo e outra parte acabou por se desmoronar.

Alguns passageiros e tripulantes efectuaram chamadas telefónicas dos vôos sequestrados. Um total de 19 sequestradores foram posteriormente identificados, 4 no vôo 93 da companhia United Airlines e 5 nos outros vôos. Segundo informações, os sequestradores assumiram o controle das aeronaves usando facas para matar as assistentes de bordo, pilotos, e/ou pelo menos um passageiro. No vôo 77 da American Airlines, um dos passageiros relatou que os sequestradores estavam na posse de punhais. Foi relatado o uso de um determinado tipo de spray químico nocivo, para manter os passageiros longe da primeira classe nos vôo 11 da American Airlines e 175 da United Arlines. Foram feitas ameaças de bomba em 3 dos 4 aviões sequestrados, não tendo o vôo 77 da American Airlines registado ameaça de bomba.

Textos da Wikipédia
Fotos da Net
António Inglês
POR ENTRE MONTES E VALES

Nenhum comentário: