quarta-feira, 31 de agosto de 2016

E POR FALAR EM GOLPE


Rapaz, pense numa minissérie tipo "Liberdade, Liberdade" ou, esta agora, "Justiça". Parece novela este "impeachmento" de doutora Dilma, a presidenta inocenta!
Coisa de doido ficar assistindo aquela patacoada de hospício, como disse o Presidente do Senado, onde não há moral, segundo a senadora petista, para julgar uma presidenta inocenta!
É de lascar ver o tal Lindinho Carioca ficar repetindo as mesmas coisas à exaustão, os mesmos trechos, os mesmos argumentos, em todas estas reuniões deprimentes, difícil aguentar.
É dilacerante ver a tal Vanessa ou sua coleguinha ali do lado, a Gleisi, fazendo coro ao Lindinho, repetindo, também, aquela cantilena, aquela chicana, toda vez que é "interpelada", ou o presidente da sessão lhe dá a palavra "pela ordem", "questão de ordem", "conforme" o regulamento...
Se a pedalada foi sem querer querendo, não interessa, não é justo pro povão e pra gente ficar escutando esta lenga lenga sem fim. O que interessa, mesmo, foi a presidenta inocenta mentir na campanha para presidente, prometendo uma coisa e fazendo outra e atribuindo ao seu adversário um pacote de maldades caso fosse eleita. E, tão logo foi "diplomada", lascou em nós todo o castigo que ela viu no outro. Foi um autêntico estelionato eleitoral, "fato" comum aos nossos políticos cara de pau, de prometer o paraíso e distribuir o fogo do inferno a torto e a direito tão logo assumem o poder.
Pra mim, mentir e fazer o que ela fez é digno de um impeachment rápido e rasteiro (por que não um "recall" - um Procon político?) ao contrário desta novela que se arrasta há quase um ano com um enredo onde imperou a corrupção, com o disparate de termos uma inflação combinada com recessão e o povo pagando muito caro a gestão incompetenta geradora do caos instalado.
Pouco importa se os decretos foram legais, o que não é legal é atravessarmos uma crise sem precedentes, nunca antes vista neste país.
Tarifas "ultrapassadas" na conta de luz, preços fora da "nossa" realidade na conta do petróleo (aniquilaram a Petrobras), mais recentemente no feijão, que, ao serem corrigidas, deu este impacto no custo de vida e no nosso dia a dia.
Nossos políticos usam e abusam de ganharem sempre mais e mais, reajustando seus proventos e mordomias quando mais lhes aprouver, uma afronta ao trabalhador comum, tinha que dar no que deu. Sem falar na caridade de nosso país com aliados do Foro de São Paulo, empréstimos quase doação, com juros subsidiados e financiados pelo nosso BNDES.
Nossos vorazes políticos, para não perderem a boquinha costumeira e viciada, vale um ajuste fiscal onde o povo será sempre sacrificado com perdas de direitos trabalhistas e mais impostos, se necessários.
É assim que funciona o país dividido entre apaniguados e separados pelos altos privilégios desta casta e os pagadores de impostos com salários defasados e sujeitos à demissão a qualquer hora.
O que precisamos é de uma sacudida para valer, onde nosso inconformismo e revolta possa ser revelada na hora de votar, de modo a excluir toda esta corja aproveitadora de seu bem estar infinito.
Enquanto isso não for resolvido, o que teremos é gente com sede de poder, com projeto de poder, de ficar ali pro resto da vida, garantindo para si, família e descendentes, tudo o que for possível usufruindo de cargos e tudo o mais,e, que para deixarem o cargo, mesmo respondendo processo, é um deus nos acuda!!!

Nenhum comentário: