domingo, 7 de agosto de 2016

CRISTOVAM BUARQUE X FERNANDO MORAIS

Cristovam Buarque demole o escritor Fernando Morais em resposta matadora

Ao ser chamado de “golpista”, o senador do DF rebateu simplesmente implodindo a “argumentação” do autor petista.
Fernando Morais, escritor de sucessos como “Chatô” e “Olga”, destaca-se nas redes pela defesa do PT. Também é figura frequente naqueles corriqueiros abaixo-assinados em que celebridades reiteram seu apoio à legenda ou a algum de seus dirigentes envolvidos com a lei. Faz parte.
Recentemente, ele se envolveu em uma polêmica com o senador Cristovam Buarque (PPS/DF). Disse o seguinte:
Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o “premio manuel bonfim”, atribuído ao meu livro “Chatô, o rei do Brasil”. Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio“. (grifos nossos)
E então teve de ouvir/ler essa resposta:
Fernando Morais mostra como para o PT não há diferença entre partido, governo e estado. Não fui eu que dei o prêmio, foi o Governo do DF, selecionado pelo mérito de seu maravilhoso livro. Mas ele acha que foi uma bolsa-escritor. Porque, para ele, não há diferença entre partido-governante-governo-estado. Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia” (grifos nossos; original aqui)
Pois é… Quem fala o que quer, ouve (ou lê) o que não quer.
Cristovam-Buarque---Fernando-Morais---polemica---Chato---premio
Cristovam-Buarque---Fernando-Morais---polemica---Chato---premio
E, de fato, o senador está correto. Por mais que seja complicado restabelecer a economia e reconduzir o país, será ainda mais difícil combater o estrago cometido na própria forma de pensar de boa parte da nação.
Uma longa e trabalhosa jornada, que por sinal mal começou. Adiante!

Nenhum comentário: