terça-feira, 23 de agosto de 2016

COMPLEXO DE VIRA LATA

A PROPÓSITO DO ALÍVIO QUE O COI (OU COB OU ÓRGÃO POLICIAL RESPONSÁVEL) FAZ DOS NADADORES AMERICANOS QUE DELINQUIRAM NUM POSTO DE GASOLINA, NO RIO DE JANEIRO, QUE, SE FOSSE O CONTRÁRIO, NOSSOS ATLETAS SERIAM PRESOS E FICARIAM INCOMUNICÁVEIS, REEDITO UM ARTIGO NA ÉPOCA DA COPA DO MUNDO 2014

"COMPLEXO DE VIRA LATA"
Complexo de vira-lata - é uma expressão criada pelo dramaturgo e escritor brasileiro Nelson Rodrigues, a qual originalmente se referia ao trauma sofrido pelos brasileiros em 1950, quando a Seleção Brasileira foi derrotada pela Seleção Uruguaia de Futebol na final da Copa do Mundo em pleno Maracanã. O Brasil só teria se recuperado do choque (ao menos no campo futebolístico) em 1958, quando ganhou a Copa do Mundo pela primeira vez. (Wikipedia) 
E, por coincidência, esse complexo permanece e fica mais evidente, mais "saliente" no futebol. Na visão de nossos ilustres e conceituadíssimos analistas do futebol, um jogador para se firmar, ficar rico e poder vestir a "amarelinha", precisa ir para a Europa. Aqui, não é lugar para jogador que se destaca, que se torna um fenômeno, fora-de-série! O principal defensor de que um jogador tem que ir, obrigatoriamente, para a Europa, é nosso digno representante da CBF junto à FIFA, Ronaldo Fenômeno. E, compactuando, rezando na sua cartilha, o treinador, que deveria prestigiar mais o produto nativo que "rala" aqui, Mano Menezes. Kajuru, em seu programa na tv "Esporte Interativo", discordando do Mano, desancou o dito treinador, naquela sua linguagem característica e imperativa de boquirroto: "-vai te catar"!!! 
Nosso complexo de vira-latas já se "pontificou" em outras áreas: aceitando de cabeça baixa o visitante Obama trazer consigo todo um aparato de segurança particular, passando por cima de nossa soberania. 
Demonstrando que o que é pior pode piorar mais ainda, a Dona FIFA, gestora e proprietária da Copa do Mundo, resolveu meter, também, o seu bedelho. Não sei se o pessoal que negociou a Copa 2014 no Brasil assinou algum protocolo de intenção cedendo e concedendo todos os direitos do país. 
Ficar sob pressão da "encantadora" e poderosa senhora, submetendo-se a todos os seus desejos de mulher grávida, atendendo a todos os seus mandos e desmandos, inclusive nesse "lance" da liberação de bebidas alcoólicas nos estádios (num momento em que todo o mundo, mesmo, faz campanha para a diminuição do vício), aí já passou da conta!!! 
Depois de tanta campanha, lei seca, repressão da própria sociedade, dar um tiro no pé, retroceder, aí é ser submisso demais!!! É preciso que tenhamos mais amor ao que é nosso, dar mais valor ao que produzimos, sem essa de achar que tudo lá de fora é melhor, que para crescermos temos de fazer "estágio" noutras "plagas", adquirir "bagagem", experiência. 
Temos de passar a "elaborar" melhor nossos produtos, agregar valores, industrializar, para competir sem sofrer a ação predatória e massacrante nas concorrências com estrangeiros. 
Enquanto pensarmos que somos inferiores, que temos de nos submeter aos caprichos e interferência de gente fora de nossas fronteiras, nunca sairemos desse complexo que está virando síndrome. 
Vamos, pessoal, reagir, sacudir a poeira, sair desse marasmo e dessa condição inferior de pensar que os outros são sempre melhores. Somos os melhores, basta acreditar e lutar por isso. Deixemos de lado nosso já "incorporado" e eterno complexo de vira-latas!

Nenhum comentário: