sexta-feira, 26 de agosto de 2016

BLOG "BESTA FUBANA"

PRESIDENCIALISMO FALIDO

Hoje, depois de marchas e contra-marchas, chegamos ao início do fim do processo de impeachment, que tantos sofrimentos vem ocasionando ao país. Um processo longo, arrastado, com várias etapas onde ambos os lados apresentaram exaustivamente e cansativamente os mesmos argumentos, sendo que o desfecho é conhecido por todos.
Por que não poupar o país dessa agonia? Por que a Sra. Dilma não renunciou há mais tempo, preservando, talvez, os seus direitos políticos? Por que, teimosamente, apegou a uma tese que não colou sequer no STF?
Teremos mais alguns dias de discussões estéreis e indefinições até a solução final, para que o seu vice assuma para cumprir o restante do mandato, se também não for cassado antes.
Há que se condenar, ainda, o TSE que até hoje, com a quantidade de provas comprobatórias do uso de Caixa 2 e dinheiro desviado da Petrobras para financiar a campanha Dilma-Temer não cassou a chapa e, de quebra, o registro do Partido dos Trabalhadores?
Enquanto o país empurrar as soluções que deveriam ser urgentes com a barriga, postergando decisões por falta de coragem ou sei lá o quê, fica difícil vislumbrar-se dias melhores.
Não é de hoje que defendemos o fim do “foro privilegiado” para todos os detentores de cargos públicos, eleitos ou não. São todos cidadãos comuns, apenas investidos, grande parte de forma provisória, em deputados, senadores ou mesmo em cargos de magistratura, chefia, secretarias, ministérios e outros, que não podem estar acima da LEI.
A única prerrogativa que lhes seria de direito é a liberdade de opinião. Podem defender a ideologia que for, especialmente se a pregaram durante o pleito eleitoral. Fora isso, se cometerem deslizes ou crimes comuns, processo e, se for o caso, CADEIA.
Mas essa excrescência de “foro privilegiado” mantém nos cargos públicos pessoas que se valeram de propinas para financiar campanha, que assaltaram os cofres públicos etc., durante um tempo imenso, recebendo salários e vantagens às custas de uma população pobre e sofrida, por conta da inoperância ou morosidade do STF, a quem os compete julgar, num desvio de finalidade evidente.
O STF só deveria se ocupar dos casos que envolvem violação da Constituição Federal, em última instância e não se ocupar de crimes comuns de pessoas que deveriam, acima de tudo, honrar o voto que lhes foi concedido.
Temos 11 juízes no STF e um número bem maior de juízes federais de 1ª instância que poderiam julgar mais rapidamente e, ouso dizer, com maior eficiência, casos de corrupção e outros crimes cometidos por detentores de mandato público.
Se o Brasil, depois de todo esse “imbróglio” não caminhar a passos largos para mudanças consistentes, até mesmo do sistema de governo para o Parlamentarismo, vamos continuar sofrendo as mazelas de um sistema de governo falido e sem futuro.
* * *
FALA SÉRIO!
Segundo o jornalista Claudio Humberto, os funcionários do Palácio do Planalto recusaram-se a dar depoimento em favor da Sra. Dilma Roussef.
De acordo com as informações, depois de tratar a todos de forma ríspida e autoritária, com a corda no pescoço, resolveu dar uma de “boazinha”.
Parece que uma dessas funcionárias, de tanto que foi pressionada, chegou a pedir demissão.
* * *
FALA SÉRIO!
E graças a Deus, chegamos ao final das Olimpíadas sem incidentes mais graves e sem atingirmos as metas de resultados, como era de se esperar.
Se foi possível oferecer maior segurança à população durante aquele evento, por que não se age da mesma forma durante o ano inteiro?
FALA SÉRIO!
Fonte: http://www.luizberto.com/

Nenhum comentário: