quarta-feira, 24 de agosto de 2016

AS MEDALHAS DO BRASIL: CONHEÇA OS ATLETAS QUE SUBIRAM AO PÓDIO NA RIO 2016

Saiba quem são os atletas brasileiros medalhistas nesta edição dos Jogos Olímpicos

Medalhas do Brasil nas Olimpiadas

A Olimpíada Rio 2016 vai entrar para a história do Brasil não só por ter sido a primeira no país (além da primeira na América Latina), mas porque, em casa, o time olímpico brasileiro alcançou sua melhor marca de medalhas nos Jogos Olímpicos. Ao fim da Olimpíada, a delegação brasileira somou 19 medalhas: 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze (veja o quadro de medalhas). Veja quais foram as medalhas do Brasil na Olimpíada Rio 2016:

Isaquias Queiroz, canoagem de velocidade

O baiano de 22 anos era uma das grandes promessas de medalha pra o Brasil e não decepcionou. Ele foi o primeiro atleta brasileiro a ganhar três medalhas em uma só Olimpíada. Conquistou a prata na prova de 1.000 metros de canoagem individual, o bronze nos 200m e mais uma prata nas prova dos 1.000m de duplas.

Thiago Braz, atletismo

Ouro no salto com vara aos 22 anos, Thiago Braz venceu na final o francês Renaud Lavillenie, campeão olímpico em Londres e recordista mundial, e conquistou o lugar mais alto do pódio. De quebra, o jovem, de Marília, no interior de São Paulo, ainda estabeleceu novo recorde olímpico: 6,03 metros.

Rafael Silva, judô

Mais conhecido pelo apelido de Baby, Rafael Silva quase não disputa os Jogos do Rio por conta de uma lesão, mas não só coneguiu competir como repetiu seu desempenho em Londres 2012: bronze na categoria peso-pesado.

Robson Conceição, boxe

Aos 27 anos, Robson Conceição, natural de Salvador, conquistou a inédita medalha de ouro para o Brasil na categoria leve (até 60 kg). A história de Robson com o boxe começou aos 13 anos.

Alison e Bruno, vôlei de praia

A dupla brasileira Alison e Bruno Schmidt, atual campeã mundial de vôlei de praia, bateu os italianos Nicolai e Lupo por 2 sets a 0 e garantiu a quinta medalha de ouro da Rio 2016 para o Brasil.

Rafaela Silva, judô

O primeiro ouro do Brasil na Olimpíada 2016 é a cara do país: negra, pobre e silva. Rafaela Silva, 24 anos, da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, campeã olímpica no judô, na categoria peso leve.

Mayra Aguiar, judô

Aos 25 anos, Mayra Aguiar conquistou seu segundo bronze olímpico na categoria meio-pesado: o primeiro foi em Londres 2012. O segundo, na Rio 2016, terceira olimpíada de que a atleta participou.


Arthur Zanetti, ginástica artística

Quatro anos após se tornar o primeiro campeão olímpico do Brasil em Londres na ginástica artística, Arthur Zanetti conquistou a prata, também nas argolas, novamente fazendo história. É o primeiro ginasta brasileiro a conquistar duas medalhas olímpicas.

Poliana Okimoto, maratona aquática

A paulistana Poliana Okimoto, 33 anos, chegou em quarto na maratona aquática feminina, mas ficou com o bronze após a desclassificação de uma atleta da França, penalizada por atrapalhar a chegada da rival italiana. A nadadora compete pela seleção brasileira desde os 13 anos. Foi sua terceira olimpíada.

Arthur Nory e Diego Hypolito, ginástica artística

Pela primeira vez, dois atletas da ginástica do Brasil subiram no pódio ao mesmo tempo: Diego Hypolito, para receber a prata, e Arthur Mariano Nory, para levar o bronze na ginástica de solo masculina. As medalhas coroam histórias distintas: a de superação e autocontrole de Hypolito e a de insistência e performance surpreendente de Nory.

Felipe Wu, tiro esportivo

Aos 24 anos, o discreto Felipe Wu garantiu a primeira medalha do Brasil na Olimpíada 2016: prata no tiro esportivo, na modalidade pistola de ar 10 m.

Martine Grael e Kahena Kunze, vela

Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram a quarta medalha dourada dos Jogos Olímpicos do Rio. A dupla venceu a regata decisiva da classe 49er FX com um desempenho brilhante do começo ao fim e as duas saíram da Baía de Guanabara carregadas pelos torcedores.

Ágatha e Bárbara, vôlei de praia


Estreantes em jogos olímpicos, Ágatha e Bárbara estavam longe de serem favoritas, conquistaram a medalha de prata no vôlei de praia feminino. Promessa de mais medalhas em jogos futuros.

Seleção masculina de futebol

O futebol brasileiro superou a desconfiança que pairava sobre o time no começo da Olimpíada, cresceu ao longo da competição e, em uma final suada contra a Alemanha, garantiu o ouro inédito nos pênatils.

Maicon de Andrade Siqueira, taekwondo

Uma das medalhas mais inesperadas do Brasil nos Jogos Olímpicos, veio de Maicon Andrade. Aos 23 anos e sem sequer estar no ranking dos 10 melhores de sua modalidade, garantiu o bronze inédito.

Seleção masculina de vôlei

Incontestavelmente uma das melhores equipes do mundo, a seleção de vôlei masculina não ficava com o ouro olímpico desde Atenas 2004. A tão almejada medalha veio este ano. A competição não começou bem para a seleção que amargou resultados ruins nas primeiras partidas. Na semifinal e na final, contudo, atropelou Rússia e Itália, seus adversários, para ficar com o ouro.
Fonte: http://brasil.elpais.com/

Nenhum comentário: