quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ARY TOLEDO - O MONÓLOGO DO "F"




(Garçom chega a um freguês sentado na mesa)

Garçom : Que prazer ter o senhor de volta ao meu restaurante!
Freguês : Fala, Figura!
G: Não tá me reconhecendo?
F : Fisionomia familiar
G : Eu sou o Garçom Fernando, atendi o senhor há uns tempos atrás aqui, é que agora engordei, me chamam de Fernandão, o cabelo também caiu...
F : Foi fato. Ficou forte, fofão... floresta foi, ficaram fiozinhos fininhos e fracos fazendo figuração no forro.
G : E o senhor, como está?
F: Forte e firme, feliz e faminto
G : Têm uma mesa vazia lá fora
F : fora é frio, ficam os fumantes fazendo fumaceira forte, Fico na frente, é fresquinho, faz favor...
G : Seu nome é??
F : Francisco Freire Fernão Fernaz Fernandes Figueira Furtado Franco Ferreira Ferreira de Figueiredo Falcão, Facinho de falar e fácil de fixar.
G : Já escolheu o que vai comer?
F : Favorito!
G: Qual é o favorito?
F : Filé de frango à francesa com fricassé de fubá, farofa, fritas, feijão, fatiazinha de fígado, frito com farinha fina na frigideira, fica finíssimo, falou filhão?
G : E pra beber ?
F : Fisga no fundo do freezer uma fermentada fresquinha fazendo fumaça!

(após trazer a cerveja diz)

G : De féria aqui em Frutal, seu Francisco?
F : Faturando o feijão dos filhos...
G : e de braço engessado! o que foi? Acidente de carro?
F : Foi.
G : Onde?
F : Friburgo.
G : Como foi?
F : Fresco num FIAT fedorento fuleiro feio ferrugento, fazendo frescura frente o footing falhou o freio, Findou de frente na fronte do fusca, o fusca me fechando fiquei fora da faixa, furei o farol fechado, fui em frente dum furgão.
G : Uma porrada violenta!
F : Felizmente foi fraco. O Furgão ficou fixo e fervendo a fricção fui freando. Fiz uns ferimentozinhos, feri a fronte, a face e fraturei a falange.
G : Tá cheio de assinatura aí no gesso, de quem é?
F : Filhos!
G : ( espertamente ) quantos filhos o senhor têm?
F : ( pensativo ) Five! Fabinho Flávio, Fernando Fátima e Fabiana!
G: A Fabiana! Sua filha mais velha, estava estudando, já se formou?
F : Formou! Fez faculdade em Friburgo, formou-se em filosofia. Fiz festa de formatura fantástica! Fabiana ficou feliz.
G : Ela até ajudava o senhor na sua indústria aqui né? O senhor não têm uma indústria?
F : Fabriquinha...
G : De que era mesmo?
F : Fundição. Fazia forno de flandres, ferrete, ferradura, Ferrolho, fechadura, faca, foice, facão, fivela, funil, formão, fieira, fio farpado, fabricava ferramentas fundidas em ferro forjado.
G : Ainda têm a fábrica?
F : Fechei...
G : Por que?
F : Faliu... faltou financiamento... fator financeiro foi fundamental. Fora fiscais federais fazendo fiscalização feroz... Fornecedores falhando, Funcionários ficando em férias forçadas, faturamento fraquíssimo... o ferro ficou faltando, Fui a falência! Foi feio o fracado e fui forçado a fechar a firma...
G : e agora o Sr. Trabalha em que?
F : Faço feiras e festas! Feriadão de finados fui a Fortaleza, fiz a festa das felinas, foi formidável, Fui a Florianópolis, fiz o Festival do figo em Floripa, Fui a Franca fazer a famosa feira Francal, finalmente fui fiscal nas firmas franqueadas da feira filantrópica de fomento à fundição de Frutal.
G : O Sr. Está morando aqui em Frutal?
F : A fim de facilitar Fabiana fixei-me em Friburgo.
G : Facilitar o que?
F : Fica Focado, Fernando! Fósforo, fosfato fixa filho, eu falei! Faculdade Filosofia Fabiana fazia Friburgo fiquei.
G : Onde têm aquele time fazendo sucesso no Carioca?
F : Friburguense!
G : Torce pra ele?
F : Falhou Feio ! Futebol Flamengo fiquei fã fanático e fervoroso
G : Tá mal o time né?
F : Fase! Flasão na final não falha! Na finalíssima é fogo. Fica feito furacão, faz a felicidade da família flamenguista fazendo fla-flu final . Faz a faixa fácil! Fluminense é freguês. Fazendo futebol fajuto feio fraquinho fica fora facilmente fazendo figuração Flamengão flamejante faz a festa final!
G : Por falar em festa, teve festa aqui semana passada... O senhor foi?
F : Fui. Festa a fantasia fiquei fascinado! Fêmeas fantásticas Fernandão, fiquei flertando...
G : Mas o senhor não é casado?
F : Fui
G : E a esposa, dona...
F : Filomena. Faleceu. Fevereiro
G : De quê?
F : Fumo.
G : Pulmão ?
F : Faringe
G : Efizema?
F : Fibrose
G : Fumava muito?
F : Famigeradamente.
G : Porque não falava para ela parar?
F : Falava frequentemente. Fumante é fogo. Falar que fumo é fatal fica uma fera. Falava filó, fumo fissura a \faringe, forma fibrose, Filó não fazia fé no que falava, fumava feito fornalha, Fernando, Foi um flagelo! Foi ficando fina fragilizada fininha frequentemente febril, foi ficando em frangalhos foi fatal, faleceu. Fiz um funeral a falecida, familiar fechado, foi uma fatalidade, fico falando de Filózinha fico na fossa Fernando!
G : O Sr. Perdeu uma grande esposa, é natural...
F : Foi.. Filó foi figura fantástica, forte, firme, fiel, fissurada nos filhos, fêmea de fibra, Fernando, faz falta a falecida...
G : Vamos mudar de assunto... agora que já almoçou... a sobremesa?
F : Frutas frescas : Figo, framboesa flambada... fica finíssimo.
G : Perfeitamente... depois vou trazer um cafezinho da hora
F : Falou Fernandão

( após o café )

G : Que tal ?
F : Formidável. Fresquinho forte e fervendo. Não ficou o famoso fraco fedido e fino, feio e fedorento, feito em filtro furado no fundo formiga fazendo festa faz freguês ficar furioso
G : Seu Francisco, prá encerrar o senhor fala tudo com f, é impressionante sua facilidade
F : Fato a facilidade, falar em f é fichinha, falo fluentemente sem fazer força, forma de falar, frases fluem facilmente fico falando de farra.
G : então eu proponho um desafio se o Sr falar mais quinze palavras com f sobre o almoço não preciwsa pagar a conta
F : Feito. Filé de frango à francesa fatiado em fatias finas, fritando na frigideira ficando fiado, fico feliz e freguês fiel...
G : Se ferrou eu contei, só deu 14
F : Foda-se (e foi-se)

Nenhum comentário: